O LÍDER TEM QUE SABER PREVER O FUTURO?

Atualizado: Set 8

Já virou clichê dizer que tudo muda em uma velocidade nunca antes vista né? Com isso, exige-se que as lideranças antevenham os acontecimentos para se planejarem, aproveitando as oportunidades e se precavendo dos riscos. Mas como saber algo que ainda não aconteceu?


Primeiro é preciso separar a previsão de futuro da projeção de futuro. Parece a mesma coisa, mas não é.


A previsão de futuro fica muito a cargo dos videntes e adivinhos, que dizem quando será o fim do mundo, quem vai morrer no ano que vem ou que você encontrará o amor da sua vida na próxima semana.


Já a projeção de futuro, muito estudada pelos futuristas, tem a ver com uma análise de tendências de tecnologias, comportamentos, clima, conhecimento e outros fatores que combinados dão uma ideia do que pode acontecer no futuro em termos mais genéricos e menos precisos (dependendo do tempo e do assunto).


O problema é que temos mais gente querendo prever o futuro que projetar o futuro, pois isso dá mais trabalho. E todo mundo deveria ter um pouco d futurista, para saber para que mundo está se preparando. E claro, para criar as mudanças no mundo e não ser engolido por elas.


O líder, neste cenário, tem então o dever de entender os movimentos mais claros para fazer esta conexão entre o presente o futuro.



O que, por exemplo, seu trabalho será afetado pela inteligência artificial?


Ou já parou para pensar em como o machine learning irá afetar sua vida em família?


Ou será que os carros autônomos trazem alguma oportunidade que você possa aproveitar?


Como a Internet das coisas pode mudar minha relação com minha família e minha casa?


Estas quatro perguntas abordam assuntos que parecem do futuro, mas já estão presentes e crescentes. E poderiam ser dezenas (ou até centenas) de perguntas sobre nanotecnologia, computação cognitiva, chatbots, realidade virtual, ou um monte de “novidades” que já estão por aí.


Mas muita gente está esperando pra ver no que vai dar e já está sendo engolido pelas mudanças que são inevitáveis.


Muito ainda está por vir e será rapidamente escalado.


Daí, criar um modelo mental orientado à estas projeções é imprescindível a todos, que precisam buscar serem protagonistas destas mudanças e estar antenados às tendências que estão aí visíveis, e buscar as oportunidades que nem todos conseguem ver.


Isso é um exercício diário que ninguém pode fazer por você.



Abraços

Allan Cabral Pimenta




#FUTORO #FUTURISMO #liderança #FUTURETHINKING

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Blogger Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey YouTube Icon